APGNews Abril e Maio 2017 Nº 52

Dia do Geólogo 2017

4ª Edição da Ação de Formação “A Região de Peniche como Laboratório para o Estudo das Geociências”

A 4ª Edição da Ação de Formação “A Região de Peniche como Laboratório para o Estudo das Geociências” irá decorrer nos dias 06 e 07 de julho, em Peniche, e irá combinar sessões teóricas e práticas. As sessões teóricas decorrerão no Auditório da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (IPLEIRIA). As sessões práticas incluem duas visitas de campo, a primeira decorrerá no litoral de Peniche e a segunda na ilha da Berlenga.

Esta ação de formação, acreditada pelo CCPFC, é organizada pela Associação Portuguesa de Geólogos e pelo Centro de Formação da Associação de Escolas Centro-Oeste e conta com o apoio da Câmara Municipal de Peniche e da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar do Instituto Politécnico de Leiria.

São destinatários desta ação de formação os docentes dos grupos de recrutamento 230 (Matemática e Ciências da Natureza), 520 (Biologia e Geologia) e 420 (Geografia), entre outros, os profissionais de Geologia, outros grupos profissionais, os estudantes dos vários graus de ensino e os geoturistas.

As vagas são limitadas. Participe!

Consulte aqui o Website do evento.

XXII Bienal da Real Sociedade Espanhola de História Natural – 06.09.2017 | 09.09.2017

A XXII Bienal da RSEHN terá lugar na Universidade de Coimbra, entre 6 e 9 de setembro de 2017, repartindo-se por excursões, conferências, comunicações orais e sessões de pósteres, para além de visitas aos edificados, museus e demais acervos históricos da mais antiga universidade portuguesa, detentora de Património Mundial da Humanidade classificado pela UNESCO.

A 2ª Circular desta reunião já está disponível aqui: https://issuu.com/…/docs/xxii_bienal_rsehn_co__mbra_2017_-_2

Este evento tem o apoio da APG.

Projecto SOWAMO – Sessão final de divulgação de resultados Workshop Água e Biodiversidade

O Workshop final do projecto SOWAMO (Água e Biodiversidade) irá decorrer no próximo dia 28 de Abril de 2017 no campus de Gambelas, Universidade do Algarve (Faro).

O projecto SOWAMO está a decorrer desde Maio de 2015 sob o financiamento do programa AdaPT, com o objectivo de desenvolver um campo de recarga induzida de aquíferos (MAR) na Serra de Monchique, para melhorar a resiliência de captações municipais, face aos riscos das alterações climáticas.

O programa pode ser consultado aqui. A sessão da manhã será dedicada ao projecto SOWAMO e aos resultados obtidos. A  sessão da parte da tarde será subordinada ao tema dos meios dulçaquicolas, e a sua relação com a água subterrânea.

O evento é gratuito mas sujeito a confirmação. As inscrições são efectuadas pelo site do CCMAR:
https://www.ccmar.ualg.pt/en/activity/sessao-final-de-divulgacao-de-resultados-workshop-agua-e-biodiversidade-sowamo.

Contactos adicionais poderão ser solicitados a:

Tiago Carvalho TARH – Terra, Ambiente e Recursos Hídricos, Lda
www.tarh.pt

+351219402390

A Geologia na Rota da Vinha e do Vinho foi tema de Seminário no Douro Superior

Pelo segundo ano consecutivo, a Região Demarcada do Douro acolheu o Seminário “A Geologia na Rota da Vinha e do Vinho” que se realiza anualmente pelas diferentes regiões vitivinícolas do país, organizado pela Associação Portuguesa de Geólogos em colaboração com diversas Instituições como Universidades, Museus, Quintas, Adegas, etc. Este ano  integrou o conjunto de iniciativas da Semana dos Parceiros do “Roteiro das Minas e Pontos de Interesse Mineiro e Geológico de Portugal”.

O Seminário “A Geologia na Rota da Vinha e do Vinho na Região do Douro Superior” ​decorreu no fim-de-semana de 07 a 09 de abril, em Torre de Moncorvo, Vila Nova de Foz Côa e Freixo de Espada à Cinta e incluiu conferências, debates, provas de vinho e visitas a espaços museológicos e quintas, assim como excursões de campo, onde se abordaram as relações existentes entre as caraterísticas geológicas e vitivinícolas da Região.

O Seminário contou com 60 participantes entre docentes do Ensino Secundário; Profissionais de Geologia, Enologia; Estudantes e Geoturistas e pretendeu promover e divulgar o património geológico, vinhateiro e paisagístico da Região do Douro Superior, bem como o seu património histórico, arqueológico e cultural. Abordou conteúdos temáticos multidisciplinares, inter-relações e interações entre Geologia, a Vinha e o Vinho, interpretando as paisagens da Região do Douro Superior, terminando com um magnífico passeio de barco no Douro Internacional com início e termo no Cais da Congida.

Consulte aqui o álbum de fotografias do Seminário.

À Memória de António Gomes Coelho

Desejo agradecer à Direção da APG o convite que me fez para falar sobre a Vida e a Obra de Gomes Coelho na cerimónia de homenagem à sua memória organizada neste dia da 9ª Reunião Anual.

São muitos os laços que nos unem e, um deles, é a nossa condição de Fundadores da APG, na sequência de numerosas reuniões havidas no Anfiteatro do LNEC com um grupo alargado de colegas visando elaborar e aprovar os seus primeiros Estatutos, desse grupo inicial fazendo também parte o Delgado Rodrigues e o Luis Fialho.

O meu relacionamento com o Gomes Coelho data de Outubro de 1971, quando nos encontramos em Luanda, numa esquina de ruas cujo nome já não recordo, que tinha um café nas proximidades, com a finalidade de eu o entrevistar na sequência da sua candidatura a Estagiário para Especialista do Serviço de Geotecnia do LNEC.

Ele pretendia deixar a sua atividade na Universidade de Luanda onde era Assistente desde Dezembro de 1969, na sequência de ter prestado uma comissão de serviço em Angola como Alferes Miliciano de Engenharia, iniciada em Janeiro de 1967 e regressar com a Família a Lisboa, para aqui, ele e a sua mulher, continuarem suas carreiras profissionais.

Nessa época, qualquer admissão como estagiário para Especialista no LNEC era precedida de uma entrevista dos candidatos cujo currículo escolar satisfazia as exigências da Instituição. Nesse concurso foram retidos os currículos do Luis Fialho Rodrigues e do António Gomes Coelho. O Luis Fialho, residente em Lisboa, foi prontamente entrevistado, tendo de seguida iniciado a sua colaboração como tarefeiro na Divisão de Prospeção, na área da prospeção geofísica, apoiando as atividades desenvolvidas pelo Joaquim Moura Esteves.

A referida entrevista em Luanda com o Gomes Coelho não podia ter corrido melhor e, no meu regresso a Lisboa, foi dado início ao processo da sua contratação. Devido às burocracias resultantes da sua condição de Assistente da Universidade de Luanda e a outras, a sua posse bem como a do Luis Fialho só teve lugar a 7 de Fevereiro de 1972.

Em boa hora eles concorreram ao LNEC e em boa hora foi tomada a decisão de fazer a contratação simultânea dos dois como Estagiários para Especialista da Divisão de Prospeção do Serviço de Geotecnia, tendo aí desenvolvido suas carreiras até às respetivas aposentações e se tornado referência nas suas áreas da Geologia de Engenharia, pela excelência da investigação e de outras atividades que conduziram e pela capacidade de liderança das equipas mais jovens que foram sendo admitidas para esses setores.

Ambos partiram prematuramente e de forma não esperada, deixando-nos um vazio impossível de preencher.

por Ricado Oliveira, 24 de Março de 2017