XXXVII CAP – Curso de Atualização de Professores de Geociências

Nos dias 14 e 15 de outubro de 2017 decorreu no Museu do Quartzo, em Viseu, o XXXVII CAP – Curso de Atualização de Professores de Geociências “O Ensino das Ciências da Terra como Motor para o Desenvolvimento”, organizado pela Associação Portuguesa de Geólogos com a colaboração do Museu do Quartzo (Câmara Municipal de Viseu) e do Centro de Formação de Associação de Escolas de Viseu – Visprof.

Este curso de formação contou, ainda, com o apoio da GRANBEIRA, das Termas de S. Pedro do Sul, da EDM, do LNEG, do Centro Cultural, Social e Desportivo Nº 500 de Viseu e da Câmara Municipal de Nelas.

O XXXVII CAP teve como principais objetivos aprimorar o conhecimento das Geociências no contexto do desenvolvimento sustentável do planeta Terra, contribuir para o incremento da motivação relativa à abordagem e tratamento dos temas da Geologia e promover mudanças de desempenho profissional dos formandos.

O álbum com uma seleção de fotografias tiradas durante o XXXVII CAP está disponível aqui.

MAIS INFO [+]

Anúncios

Cursos de Formação acreditados pela Federação Europeia de Geólogos

Os cursos de formação “Riscos Geológicos-Geotécnicos e Monitorização e “Segurança, Riscos Ambientais e Proteção Civil” foram acreditados pela Federação Europeia de Geólogos (European Federation of Geologists).

Curso de Formação “Segurança, Riscos Ambientais e Proteção Civil” | 08 e 09 Novembro | DGAOT-FCUP

Hoje em dia, todos nós vivemos em ambientes sujeitos a riscos de origem natural e tecnológica. Porém, a maioria dos riscos está intimamente relacionada com intervenções de natureza humana que os originam ou geram situações de elevada vulnerabilidade. De facto, o Homem provoca, muitas vezes, alterações em equilíbrios que existem na natureza, cria e incrementa situações de risco através de condutas impróprias relativas ao ordenamento do território, à ausência de visão estratégica e planeamento e à quase inexistência de uma cultura de segurança, que se encontra instalada na sociedade.

Desde os primórdios dos tempos, o Homem coabitou com o risco é teve que conviver com inúmeros desastres e catástrofes de características e naturezas distintas, arranjando sempre formas de se adaptar a realidades díspares e minimizar os seus efeitos. A experiência que se vai adquirindo, essencialmente, através de relatos das populações intervenientes e do conhecimento de antecedentes históricos, para além da cada vez melhor compreensão dos fenómenos que os originam, permitiu captar ensinamentos para que as populações estejam cada vez mais preparadas e seguras relativamente a novas ocorrências. Esta forma de pensar e atuar, irá potenciar a minimização de danos em situações de desastres e catástrofes e irá auxiliar na definição de prioridades na gestão da vulnerabilidade e mitigação dos mesmos riscos.

Este Curso de Formação foi formatado para que os formandos possam adquirir conhecimentos, técnicas e metodologias, através da apresentação de “case studies”, nos domínios da segurança, da avaliação de riscos ambientais, da proteção civil, do planeamento de emergência e da gestão de crises, com interesse para um vasto leque de atividades profissionais.

Curso de formação em processo de acreditação pela Federação Europeia de Geólogos.

MAIS INFO [+]

Consulte as condições de inscrição aqui.

Formulário de Candidatura: Aceda aqui ao formulário de candidatura.

Participe!

Curso de Formação “Riscos Geológicos-Geotécnicos e Monitorização” | 08 e 09 Novembro | DGAOT-FCUP

A exposição de um número cada vez mais elevado de pessoas e bens a uma diversidade de perigos geológicos e geotécnicos, capazes de gerar desastres e catástrofes de consequências devastadoras, impõe a implementação de medidas que minimizem ou evitem os seus efeitos.

O conhecimento geológico detalhado de uma região, sintetizado numa base cartográfica, e a melhor compreensão dos fenómenos naturais, bem como dos problemas relacionados com a intervenção humana no ambiente ou dos riscos geológicos – geotécnicos relacionados com a construção de habitações e infraestruturas de apoio aos núcleos urbanos, permitem promover e desenvolver abordagens integradas com a utilização de várias ferramentas de suporte à decisão, bem como a implementação de estratégias de intervenção, ao nível do ordenamento do território, da conceção de estruturas e infraestruturas e da monitorização geológica e geotécnica, capazes de salvaguardar o meio ambiente, as populações, os seus bens e as estruturas e infraestruturas associadas.

Este Curso de Formação permitirá aos formandos adquirir e aprofundar conhecimentos, técnicas e metodologias, nos domínios da geologia do ambiente, do ordenamento e gestão do território e da caracterização, avaliação e monitorização da perigosidade e dos riscos geológicos e geotécnicos com interesse para um vasto leque de atividades profissionais.

Curso de formação em processo de acreditação pela Federação Europeia de Geólogos.

MAIS INFO [+]

Consulte as condições de inscrição aqui.

Formulário de Candidatura: Aceda aqui ao formulário de candidatura.

Participe!

VII Jornadas APG “Geologia e Gestão de Riscos” | 10 Novembro 2017 | FCUP

PosterA3_Jornadas VII

Desde sempre, a humanidade conviveu de perto com diversos tipos de perigos naturais (geológicos, climáticos, entre outros). As ameaças produzidas por eles condicionaram muito a escolha de sítios para fixação das populações, bem como as rotas migratórias. No entanto, muitos dos locais potencialmente perigosos, nomeadamente junto a áreas com atividade vulcânica, constituíam zonas onde as populações encontravam condições de vida mais fácil, como por exemplo, solos férteis, acabando por aí se estabelecerem.

Nas últimas décadas, devido ao crescimento exponencial da população mundial, os riscos associados aos perigos naturais têm-se intensificado de forma dramática, particularmente nos países em desenvolvimento. A velocidade com que se realizam todos os tipos de construções, desde a habitacional à das obras públicas, e a ocupação indiscriminada de áreas de território não permitem um conhecimento e uma avaliação adequada dos riscos e a consequente definição de possíveis ações de controlo e mitigação, pondo em risco as populações e os seus bens. Igualmente, o desrespeito por normas de ordenamento e construção, para além da ausência de planeamento, como por exemplo em zonas sísmicas, e uma ineficaz ou inexistente fiscalização acarreta , com frequência, elevados prejuízos humanos e materiais para a sociedade. Torna-se assim também prioritária a avaliação dos potenciais riscos geotécnicos que poderão estar associados àquelas estruturas, minimizando o seu impacto quer junto das populações, quer nas próprias infraestruturas. Por outro lado, o desconhecimento das populações relativamente aos perigos naturais a que estão expostos, gera, muitas vezes, uma despreocupação face aos mesmos e a adoção de comportamentos que podem pôr em risco a sua própria vida.

A exploração de recursos geológicos continua a ser uma atividade relevante e essencial para o atual desenvolvimento da Sociedade. Embora, a maioria dos riscos ambientais relacionados com a atividade mineira e afins tenham sido minorados, principalmente nos países mais desenvolvidos, continua a ser significativo o seu impacte ambiental nos países subdesenvolvidos e em desenvolvimento. No entanto, mesmo nos países em que a maioria das questões ambientais estão acauteladas, importa considerar outros riscos passíveis de impor danos no ambiente.

Por outro lado, os riscos associados à exploração de recursos geológicos não abrangem apenas as preocupações ambientais, mas estão também relacionados com questões económicas, como por exemplo os ciclos de negócios, as receitas impulsionadas pelas flutuações dos preços das commodities e das taxas de câmbio, a emergência de novos países produtores e os custos associados com a exploração, licenciamento, construção, reabilitação e remediação das áreas exploradas. Estes fatores têm, não só, impacto no ciclo de vida de uma exploração, mas também poderão ser relevantes para a economia de um país.

Estes temas enquadram-se no campo de atuação dos geocientistas e apesar do conhecimento científico nestas áreas ser já considerável, muito há ainda a realizar em termos teóricos e práticos, quer em relação à sensibilização da Sociedade, quer no que concerne ao avanço tecnológico, bem como à implementação de ações mitigadoras do risco.

A comunidade geocientífica enfrenta, assim, diversos desafios no que se refere à abordagem destes temas junto da Sociedade. Como poderemos envolver os decisores políticos e traduzir o nosso conhecimento científico na avaliação dos riscos, de forma a que este seja entendido por todas as partes envolvidas? Que ações mais eficazes poderemos ter junto das populações que permitam a sua melhor compreensão sobre os riscos, de modo a permitir que tenham uma atitude mais consciente face aos perigos naturais?

Venha debater e explorar estes temas nas VII Jornadas APG!

Website: https://viijornadasapg.wordpress.com/

VII Jornadas APG “Geologia e Gestão de Riscos” | 08 a 10 Novembro 2017 | FCUP

As VII Jornadas APG terão lugar no dia 10 de novembro de 2017, na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. A edição deste ano, intitulada “Geologia e Gestão de Riscos” tem como objetivo explorar o conceito de Risco no domínio das Geociências, debatendo não só a natureza, a causa, a gestão e a avaliação dos riscos geológicos, geotécnicos e os relacionados com a exploração de recursos geológicos, mas também as questões relacionadas com a perceção do público relativamente ao risco.

Neste contexto, serão abordados os seguintes temas:

1 – Desastres naturais: comunicação e gestão da incerteza;
2 – Gestão dos Riscos associados à Exploração de Recursos Geológicos;
3 – Gestão e Avaliação de Riscos Geotécnicos.

Esta conferência, organizada anualmente pela Associação Portuguesa de Geólogos, pretende fomentar a consciencialização pública para a importância da geologia no desenvolvimento sustentável da sociedade moderna.

PÚBLICO – QUEM DEVERÁ PARTICIPAR?
Aguarda-se a participação ativa de geólogos, engenheiros geólogos e de minas e outros profissionais da área das geociências, técnicos de proteção civil, universitários, investigadores, representantes de autoridades governamentais, especia­listas em desenvolvimento regional e estudantes.

A inscrição nas VII Jornadas APG é gratuita, mas obrigatória.

As VII Jornadas APG serão precedidas de dois cursos de formação, que decorrerão nos dias 08 e 09 de novembro:

– “Riscos Geológicos-Geotécnicos e Monitorização”
– “Segurança, Riscos Ambientais e Proteção Civil”

Os cursos de formação estão em processo de acreditação pela Federação Europeia de Geólogos.

Consulte aqui o Website das VII Jornadas APG: https://viijornadasapg.wordpress.com/

XXXVII CAP “O Ensino das Ciências da Terra como Motor para o Desenvolvimento” acreditado pelo CCPFC

O XXXVII CAP – Curso de Atualização de Professores de Geociências “O Ensino das Ciências da Terra como Motor para o Desenvolvimento” foi aprovado pelo CCPFC para os grupos de recrutamento 230, 420 e 520.

Podem, igualmente, participar neste curso de formação docentes de outros grupos de recrutamento, profissionais de Geologia, profissionais de outras áreas, estudantes e geoturistas.

Consulte aqui as condições de inscrição no XXXVII CAP e os respetivos formulários.

Consulte aqui o website do XXXVII CAP.